Pagina Inicial

Pagina Inicial
Audiência discute o comércio em Simões Filho, dados estatísticos confirma crise – Imprensa Bahia
Romário Dos Santos

Audiência discute o comércio em Simões Filho, dados estatísticos confirma crise


  •  
  •  
  •  

Simões Filho discutiu em Audiência Pública, cujo tema foi “Fortalecer o empresário, Desenvolver a Econômia” realizada na última quarta, (22),  no auditório da Câmara Municipal de Vereadores de Simões Filho, através de iniciativa dos Vereadores Arnoldo Simões e Erivaldo Canjirana, Presidente do Sindicato dos Comerciários – Jose Ribeiro, INSS representado pelo Sr.  Jean Vinicius de Abreu  e com a participação do SEBRAE, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Sindicatos do Comerciários a participação do Prefeito Diogenes Tolentino – Dinha, Hilton Ramos – SEDEC, Carlos Roberto de Oliveira- SEFAZ.

A iniciativa dos Edis, justifica-se diante do cenário de crise que já ultrapassa o terceiro exercício em um cenário de crise, no mercado financeiro, político e trabalhista, levando os micro empreendedores individuais, micro empresários e o setor industrial á uma retração em seus planos de expansão, contratação e, caso não venham a ser tomadas as medidas necessárias poderemos evoluir para um cenário de demissões, ou fechamento continuo de lojas, aumentando com isso a pressão do desemprego.

O Índice de Confiança do Consumidor medido pela Fundação Getulio Vargas recuou 0,4 ponto em agosto, para 83,8 pontos, segundo o G1. Em relação ao mesmo mês de 2017, o ICC registrou alta de 2,4 pontos.

Índice de Expectativa (IE) e Ídice de Situação Atua (ISA)

Na leitura de agosto, houve piora sobre a situação atual, mas melhora das expectativas em relação ao futuro da economia. O Índice de Situação Atual (ISA) caiu 2,7 pontos, para 71,4 pontos, enquanto o de Expectativas (IE) subiu 1,1 ponto, para 93 pontos.

“Diante da lenta recuperação do mercado de trabalho, do alto nível de incerteza, do risco de aceleração da inflação e das dificuldades de se alcançar o equilíbrio orçamentário familiar, os consumidores mantêm uma postura conservadora”, afirmou a coordenadora da sondagem do consumidor, Viviane Seda Bittencourt.

Dados da Receita Federal

Com uma soma de R$ 129,6 bilhões em julho, a arrecadação federal registrou uma alta real de 12,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado. É o melhor resultado para o período desde 2011. Os dados foram divulgados hoje (23) pela Receita Federal.

O crescimento comparado ao mês anterior também foi o maior registrado em 2018. Até agora, a alta real havia superado o patamar dos 10% apenas em janeiro e fevereiro.No acumulado de janeiro a julho, as receitas chegaram a R$ 843,8 bilhões, uma alta de 7,7% ante o mesmo período de 2017. É o melhor resultado para o período desde 2014.

 


  •  
  •  
  •  
Outras Notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *