Pagina Inicial

Pagina Inicial
Nossa Senhora Aparecida, Princesa Isabel e a coroa - Imprensa Bahia – Simões Filho
Romário Dos Santos

Nossa Senhora Aparecida, Princesa Isabel e a coroa


  •  
  •  
  •  

“Em 1868, conta-se que ela foi a Aparecida pedir proteção de Nossa Senhora Aparecida para conseguir ter um filho. Já estava casada há quatro anos, sem conseguir engravidar”, conta o hagiólogo. “Em 1874, Isabel teve uma criança, natimorta, e, entre 1875 e 1878, teve três filhos, que garantiriam a sucessão imperial.”

Em novembro de 1888, um ano antes da Proclamação da República do Brasil, a princesa teria retornado para Aparecida. Levou uma doação preciosa, conforme afirma Lira: uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis e um manto azul.

Esta coroa seria utilizada em 1904 em uma cerimônia oficial. “Um representante do papa a coroou oficialmente Rainha do Brasil”, diz o pesquisador Rezzutti.

Segundo ele, isto pode ter ocorrido pela influência de Isabel junto ao Vaticano. “Ela tinha muito contato com a cúpula da Igreja. E isto se reforçou durante seu exílio na Europa, quando a família imperial foi obrigada a deixar o Brasil, depois da República. Foi muito simbólico a princesa, herdeira do trono e da coroa imperial – que nunca usaria – doar uma coroa para a ‘rainha do Brasil’. De certa forma, é como se ela transferisse sua coroa para a santa.”

Mas essa coroação não fez de Nossa Senhora automaticamente a padroeira do Brasil.

Oficialmente, isso só ocorreria em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio 11º. Conforme contextualiza Altemeyer, havia uma pressão grande das arquidioceses tanto do Rio quanto de São Paulo para que o Vaticano formalizasse tal reconhecimento. Desde então, São Pedro de Alcântara passou a ser considerado “nosso segundo padroeiro”, como explica Lira.

“O ato do pontífice legitimava o que o próprio povo brasileiro já havia consagrado no coração. No decreto, o santo padre afirmou que atendia ao pedido do episcopado e do povo brasileiro, ‘o qual com fervor e piedade constantes, desde os anos do descobrimento das regiões brasílicas até nossos tempos, tem venerado e venera a Imaculada Virgem Mãe de Deus'”, conta Altemeyer.

No ano seguinte, em 31 de maio de 1931, uma missa solene ocorreu no Rio de Janeiro, então capital federal, para oficializar o decreto. “Para a ocasião, a imagem da santa foi levada em romaria de Aparecida até o Rio”, ressalta o teólogo.

O vermelhinho no calendário, entretanto, viria apenas 50 anos mais tarde. A declaração de feriado nacional foi sancionada pelo presidente João Figueiredo, o último presidente da ditadura militar do Brasil, em 30 de junho de 1980, exatamente no dia em que o país recebeu a visita de João Paulo 2º, primeiro papa a pisar em terras nacionais.

Imagem original de Nossa Senhora Aparecida
Imagem original resgatada pelos pescadores há 301 anos, exposta para devoção no Santuário Nacional, Basílica de Aparecida

A partir daquele ano, portanto, ficou “declarado feriado nacional o dia 12 de outubro, para cultura público e oficial a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil”, conforme o texto da lei.

“Desde então, houve muitos questionamentos acerca da lei, por conta de o Estado ser laico e da separação entre Igreja e Estado promovida pela República”, comenta Lira.

“Eu não vejo controvérsia. Nossa Senhora Aparecida é reconhecidamente participante do imaginário brasileiro, da vida brasileira. Se feriamos, por exemplo, o dia da morte de uma personalidade histórica que às vezes não alcança o percentual significativo da nação e lhe prestamos homenagens públicas, por que não homenagear a padroeira e feriar o dia a ela dedicado?”

Há, entretanto, uma curiosidade histórica. De acordo com os relatos antigos, a imagem de Nossa Senhora foi encontrada no Rio Paraíba do Sul na segunda quinzena de outubro de 1717 – não poderia ter sido, portanto, no dia 12. Muitos acreditam que a data exata tenha sido dia 17.

Por que então entrou para a história o dia 12 de outubro?

De acordo com historiadores, a escolha da data não foi algo aleatório, mas sim uma decisão simbólica. O 12 de outubro já era um dia importante. Foi em 12 de outubro – de 1492 – que Cristóvão Colombo aportou no continente americano. E foi em 12 de outubro – de 1822 – que dom Pedro 1º acabou aclamado imperador do Brasil.

Pedro 1º, aliás, nasceu em um 12 de outubro, em 1798.

Milhares de fieis na cidade de Aparecida em 2013, para acompanhar visita do papa Francisco

 

Cerca de 200 mil pessoas acompanharam visita do papa Francisco à cidade de Aparecida em 2013

Devoção

Não há um número consolidado sobre quantas igrejas dedicadas a Nossa Senhora Aparecida existem no Brasil, mas certamente se trata da santa de maior devoção popular no país.

“É muito difícil uma diocese brasileira que não tenha pelo menos uma paróquia dedicada à padroeira do Brasil”, resume Lira. “Capelas, então, são inúmeras.”

O pesquisador também acredita que a devoção à santa venha aumentando nos últimos anos graças à profusão de canais de TV e espaços na internet e redes sociais dedicados a espalhar a fé católica. “Há uma valorização da padroeira”, acredita ele.

Lira ainda frisa a importância de Nossa Senhora Aparecida ser negra, à imagem de boa parcela da população brasileira.

“Nas aparições de Maria Santíssima que foram aprovadas pela Igreja, vemos que Nossa Senhora se tornou semelhante ao povo do local de aparição, o que nos remete ao texto bíblico: fomos feitos à imagem e semelhança do Pai do Céu. Aqui, a imagem veio com a cor de uma raça sofrida, pequenina, mas, com um sorriso esboçado. Tem nosso cheiro, nossa terra, nossa cor miscigenada”, aponta o hagiólogo.

Fonte: BBC News Brasil – Foto: José  Luiz Bernardes Ribeiro


  •  
  •  
  •  
Outras Notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *